segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Palestras com Miguel Figueira e Eurico Gonçalves


Palestras com Miguel Figueira e Eurico Gonçalves

18 e 25 de Outubro, respectivamente, no Workshop Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, promovido pela ANJE, e no Departamento de Arquitectura da FCTUC, em Coimbra.

sábado, 22 de outubro de 2011

Kelly Slater com o Cabo Mondego - Reserva Mundial de Surf

Eurico Gonçalves, Kelly Slater e Miguel Figueira


Kelly Slater com o Cabo Mondego - Reserva Mundial de Surf

15 de Outubro já tem um lugar de destaque para o Surf Nacional. Este foi o dia da consagração da Reserva Nacional de Surf da Ericeira, da apresentação do Centro de Alto Rendimento de Peniche, e da afirmação do valor do Cabo Mondego como lugar excelência para a prática do surf. O movimento cívico SOSCabedelo esteve presente em ambas as iniciativas e trouxe da Ericeira o compromisso de maior envolvimento institucional com a candidatura do Cabo Mondego a Reserva Munial de Surf pelo Dr Pedro Afonso de Paulo, Secretário de Estado do Ambiente, e de Peniche o apoio de Kelly Slater, actual campeão mundial de surf, por muitos considerado um dos maiores atletas de todos os tempos. Kelly Slater é um profundo conhecedor da qualidade da onda do Cabelelo na Figueira da Foz, já que foi precisamente ali que conseguiu a proeza única na história do surf profissional ao ser consagrado campeão mundial por duas vezes consecutivas (1996 e 1997). No sábado, dia 16, Eurico Gonçalves e Miguel Figueira apresentaram o percurso do do movimento SOSCabedelo, a convite da organização do Campeonato Mundial Rip Curl Pro Portugal, na mesa redonda que decorreu na praia de Super Tubos, moderada pelo surfista de ondas grandes João Macedo e com a presença de António José Correia, Presidente da Câmara Municipal de Peniche. A palestra sobre o projecto da Figueira da Foz / CIDADE SURF terminou em ambiente de grande festa com toda gente a dançar ao som de DJ RUBI com a remistura deste autor a partir do registo audio da conferência de Miguel Figueira na iniciativa Movimento Milénio.

Sos Cabedelo

Miguel Figueira, Eurico Gonçalves e Pedro Afonso de Paulo (Sec Estado Ambiente)

Photos by Brek / trabalhobrekario.wordpress.com

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Random photos from Peniche - Capital da Onda

Chegada a Peniche, Stand do SOS Salvem O Surf

Assistencia da conferencia

Mais uma brilhante apresentação de Antonio José Correia

O site do evento

É dificil...

Photos by Brek / trabalhobrekario.wordpress.com

Random Photos from Ericeira WSR 2011




Tiago "Saca" Pires

Richard O'Sullivan, Diana Nina e Susana Andrade (mindact.tv)

Will Henry (Save the Waves Coalition)

Katie Westfall (Save the Waves Coalition)

Pedro Afonso de Paulo (Sec Estado Ambiente)

Jorge Cardoso (AABC)

Joana Rocha (Rock Sisters)

Susana Andrade (mindact.tv), José Meneses (ESC), Diana Nina (mindact.tv)

Nuno Jonet (ASP Speaker)

Photos by Brek / trabalhobrekario.wordpress.com

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Miguel Figueira & Eurico Gonçalves presentes na mesa redonda, no mundial de Peniche...




Mesa Redonda promovida pela SOS e a Rip Curl em Peniche, SOS Cabedelo / CIDADE SURF presente com: Miguel Figueira e Eurico Gonçalves. Moderação, João De Macedo...

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

É Difícil (Rubi hse remistura)

É Difícil (Rubi hse remistura) by CIDADE SURF

Produzido por Rubi MC, conceito João Traveira e Tania "Muxima" Pinto
Isto é: conceito e produção executiva By: João Traveira
Pois teve de andar atras do Rubi com uma cana para ele acabar isto

domingo, 9 de outubro de 2011

sábado, 8 de outubro de 2011

Carta aberta da ASFF...

asff

Na sequência do debate em curso, no âmbito do desenvolvimento dos desportos de ondas, a Associação de Surf da Figueira da Foz torna público o seu posicionamento relativamente aos seguintes pontos:

1. Infra-estruturas principais

As infra-estruturas principais de suporte à modalidade são as ondas, pelo que estas são o bem mais precioso a proteger, sendo extensiva esta preocupação ao mar em geral e à orla costeira em particular.

Neste âmbito, e porque as ondas da Figueira da Foz dependem das dinâmicas das areia no fundo do mar, defendemos a criação de um observatório para monitorizar e acompanhar as transformações para precaver e antecipar medidas correctivas, por forma a não perigar o bem mais importante para o desenvolvimento do surf.

Destaca-se como prioridade a necessidade de soluções que permitam a recuperação dos fundos para viabilizar a onda do Cabedelo, reconhecidas as condições ímpares daquele local para o desenvolvimento do surf, que pela conjugação de factores naturais e construídos, destacam o lugar como o mais consistente e regular da região.

2. Infra-estruturas de apoio

Na melhoria de condições para a o desenvolvimento do associativismo, formação e treino de competição, destacamos a necessidade de instalações próprias para os desportos de ondas (surf, bodyborad, kayak e kite) bem como de instalações complementares de treino e formação: ginásio, relaxe e massagens, sala polivalente para reuniões e visionamento de filmagens... O treino de piscina deverá usar os equipamentos existentes na cidade.

Neste quadro, defendemos como princípio norteador o re-aproveitamento de infra-estruturas existente contra a nova construção, e a partilha de instalações contra a exclusividade de uso, porque pugnamos por atitudes sustentáveis e acreditamos nas vantagens da boa articulação entre as diferentes modalidades.

Julgamos que a disponibilidade de edifícios e espaços devolutos na proximidade do lugar com maior carácter evocativo dos desportos de ondas, o cabedelo, conforma o conjunto de condições mais favorável. Assim propomos o aprofundamento da viabilidade de cedência das casas devolutas junto ao parque de campismo para as sedes das várias modalidades e do hangar abandonado junto à Escola de Surf para as infra-estruturas de apoio com uso partilhado.

3. Equipamento específico

Para além do equipamento necessário ao bom funcionamento das infra-estruturas acessórias, na melhoria de condições para a prática desportiva, destacamos a necessidade de apoio com motos de água para acesso às ondas de Buarcos em condições particulares de ondulação quando o acesso se torna particularmente difícil. O aproveitamento das características espaciais únicas do cabedelo para instalar um sistema de iluminação que permita o alargamento horário da prática da modalidade à semelhança de tantos outros desportos de exterior.

4. Equipamento não específico.

Duches e instalações sanitárias de apoio às praias com acesso para além da época balnear que possam servir a população em geral, mas também os praticantes de desportos de ondas. Serviços de limpeza e manutenção também para além da época balnear.

5. Outras infra-estruturas acessórias

A extensão de costa e a alternância das condições de surf obriga à deslocação permanente dos praticantes, agravando sobretudo as condições de apoio à formação. A possibilidade de extensões de apoio em locais estratégicos pode ser uma mais valia desde que devidamente estruturadas com funcionamento em rede. Nesta circunstância, defendemos também a partilha de instalações pelas diferentes modalidades e o princípio do reaproveitamento de estruturas existentes contra a possibilidade de nova construção, evitando sempre a ocupação de solo na praia.

NOTA FINAL - Conscientes da importância do Mar na estratégia para o desenvolvimento da cidade estamos convictos que o valor do surf está muito além da sua dimensão estritamente desportiva: desde o empreendedorismo até ao branding territorial. Acreditamos na importância da criação de uma incubadora de indústrias e criativos na esfera do surf associada às infra-estruturas de apoio descritas no ponto 1 - projecto iSurf. Defendemos um envolvimento mais activo na salvaguarda e valorização do conjunto patrimonial inscrito na candidatura do Cabo Mondego a Reserva Mundial de Surf.




sexta-feira, 7 de outubro de 2011

sábado, 1 de outubro de 2011