quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Discurso do Presidente Júri Prémio Secil Universidades Arquitectura - Arq Miguel Figueira


...2011 será para muitos dos concorrentes desta edição do Prémio Secil Universidades o ano da entrada na profissão. É também o ano em que assistimos à entrada de Portugal em duas listas restritas na cena internacional: a dos países com dois prémios Pritzker e a dos que dependem do FMI. Estas circunstâncias não são fruto da sorte, boa ou má, mas antes o culminar de longos percursos, individuais e colectivos. É nessa dimensão que encontramos motivos para encarar o futuro com optimismo: no primeiro caso, porque sendo certo que é o percurso de autores singulares que é reconhecido, é também afirmativo quanto à qualidade e consistência do percurso da arquitectura portuguesa; no segundo, porque liberta o país do equívoco em que se encontrava, abrindo a possibilidade para se repensar.

Como um personagem dos desenhos animados, há muito que caminhávamos no vazio, ignorando o precipício que nos deveria ter obrigado a suster a marcha e, agora, que nos apercebemos desse facto, caímos... Hoje não estamos equivocados, sabemos bem onde estamos: em queda livre. Acredito porém que o perigo maior, o do equívoco, tenha ficado para trás, sendo que à nossa frente se oferece apenas uma oportunidade: aprender a voar. Esta aprendizagem não é tarefa fácil, sobretudo para quem não tem asas, mas é isto mesmo que esperamos dos novos colegas que estão agora a iniciar os seus percursos profissionais.

As oportunidades agarram-se pela frente, pelo que não vale a pena perder tempo a olhar para trás. Não vão poder contar com os vossos professores, porque a universidade, e todos nós, também estamos em queda livre. Será a necessidade que vos vai ensinar! A necessidade e a urgência da situação exigem o vosso empenho e competência.

Fez-se a mais bela das revoluções, mas, em larga medida, falhou-se a construção do país. Compete-nos agora cumprir este desígnio maior. Este não é um problema da arquitectura, mas será seguramente um problema de todos nós, sendo que, enquanto arquitectos, temos a obrigação de contribuir para este processo de construção colectivo, por imperativo ético e pelo prazer de imaginar a cidade (e a sociedade) que queremos habitar.

Bons voos!

Projecto CIDADE SURF @Gala Portugal Surf Awards 2011



Projecto CIDADE SURF marcou presença na Gala Portugal Surf Awards 2011

No passado dia 4 de Dezembro, no espaço TMN AO VIVO no Cais do Sodré em Lisboa, teve a festa mais importante do surf nacional, os Portugal Surf Awards (ver link). Organizado pela ANS e SURFPortugal, foi um evento que contou com várias presenças de surfistas, personalidades do Governo e da indústria do surf e, claro, de vários meios de comunicação. Um desses meios foi a SportTv, através do programa Zona Radical, que esteve a cobrir o evento e cuja reportagem podem ver em baixo.


quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

M Magazine...

Ideias Para um Portugal Melhor!


Há quem, no cinzentismo dos dias de hoje, olhe para o futuro e só veja um país mergulhado na crise, na depressão e no pessimismo crónico. Outros há que, remando contra a corrente, tentam fintar o triste fado que os portugueses insistem em resgatar. Mentes inovadoras que projectam um país onde é possível votar em caixas multibanco, onde há máquinas que levam a água às zonas mais carenciadas, onde o mar e o surf são agentes do desenvolvimento local, e onde as redes sociais estabelecem pontes entre empresas, universidades e agentes de inovação. Estas são apenas as ideias vencedoras nas quatro categorias (Democracia, Negócios, Cidades e Consumo) do Movimento Milénio, iniciativa nacional promovida pelo jornal “Expresso” e pelo Millennium bcp para criar um movimento positivo e catalisador de ideias, reflexão, projectos e tendências para o futuro do País.

«A sociedade civil deve ter cada vez mais possibilidade de se afirmar. Não podemos estar à espera que o Estado resolva tudo», defendeu Francisco Pinto Balsemão, presidente do Grupo Impresa (proprietário do “Expresso”), na cerimónia de lançamento do movimento que desafiou os cidadãos a apontar caminhos para um Portugal melhor. «É esse o objectivo, pôr os cidadãos a falar. Desta crise sairá um outro país: cresceremos todos se percorrermos esse caminho com alegria e não com o nosso tradicional cinzentismo», completou Carlos Santos Ferreira, presidente do conselho de administração executivo do Millennium bcp.

Os portugueses responderam ao desafio. Desde o lançamento da iniciativa, em Fevereiro, o “website” movimentomilenio.com, sede da iniciativa e ponto de partida e de chegada de todas as propostas, rece beu mais de uma centena de projectos. Para cada um dos quatro temas foram escolhidos quarto finalistas que defenderam as suas propostas perante o respectivo júri, composto por cinco elementos – Francisco Pinto Balsemão, um representante da direcção executiva do Millenium bcp, um jornalista sénior do “Expresso” e dois especialistas em cada um dos temas.

Os quatro vencedores apurados receberam um cheque até ao valor de 12.500€ para custear as des - pesas de deslocação, estadia e participação numa conferência internacional relacionada com o tema do projecto.

Mas nem todos quiseram fazer uso da recompensa. «Não usámos o prémio, que é uma viagem para dois, para assistir a um congresso na área de democracia, nem recebemos nenhum cheque ou coisa parecida. A nossa intenção é que o Movimento Milénio utilize esta ideia para “movimentar” Portugal», revela Stéphanie de Matos, estudante de medicina que, com o noivo André Cabrita, engenheiro electrotécnico, venceu a categoria Democracia com o “Voto Simplex”, que propõe a transformação do Multibanco em urna de voto.

A festa final do Movimento Milénio tem lugar a 6 de Dezembro no Convento do Beato, em Lisboa, com direito a um brinde ao futuro do País.


O MAR COMO AGENTE DE MUDANÇA.

Há quem olhe para o mar e veja o horizonte. Há quem se fixe nas ondas ou nos surfistas que as enfrentam. Há quem descanse a vista nas curvas das mulheres em biquíni.E há quem, como o arquitecto Miguel Figueira e o Surfista Eurico Gonçalves, veja mais além. A dupla, com o apoio de um grupo de pessoas ligadas ao mar e à Figueira da Foz, quer colocar o surf e o mar ao serviço do desenvolvimento da cidade. Para isso, defendem, é preciso travar a erosão da costa sul da Figueira e salvar a «onda» da cidade. «A protecção das ondas é a primeira fronteira de protecção da orla costeira, dissipando a energia que de outra forma se concentra com efeitos devastadores sobre o sistema dunar.» Dessa forma, será possível capitalizer um importante activo para a competiti vidade da cidade, o surf, « cujo potencial nunca foi aproveitado». A proposta passa pelo recurso a um “bypass” de areia para proteger o sul da erosão costeira e reactivar a «onda» do Cabedelo. «A cidade é descontínua, e no mar não é bem assim. Daí que as nossas propostas sejam sempre de integração: integração do mar como parte do território; do sul na cidade; das pessoas e das ideias. A cidade cresce na mesma medida em que consiga incorporar estas diferenças. Não é um acto de fé, é uma constatação de facto: uma cidade partida não é viável.».


quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Projecto CIDADE SURF @Cocktail Wonderful Indonesia.


Cocktail Wonderful Indonesia @Sala Douro do Palácio do Freixo, Porto

Ivo Cação, Gabriela Ribeiro, Marcelo Tribuna, Mané Carvalho, Gonçalo Cadilhe, Maria Figueira, Miguel Figueira, Anabela Patrão, Eurico Romaguera, Paula Costa, Marcos Charana, Gonçalo Ruivo, Eurico Gonçalves.

Gonçalo Cadilhe, Manuel Rui, Eurico Gonçalves, José Pedro Marcos, Miguel Figueira, Ivo Cação.


Alguns dos mais notáveis Surfistas e Empresários do Porto reuniram-se ontem no Palácio do Freixo para a ante estreia do mais recente vídeo de Surf português.

Numa iniciativa da Embaixada da República da Indonésia em Portugal os convidados tiveram oportunidade de assistir a uma curta-metragem promocional da Indonésia, da autoria do realizador Bernardo Carvalho, e à apresentação da Luso-Indonesian Surf Community no Porto, uma plataforma que reúne informação relevante sobre o destino turístico de eleição que é a Indonésia.

Nos últimos anos, a Embaixada da República da Indonésia tem desenvolvido diversas iniciativas no sentido de facilitar e promover o acesso de surfistas Portugueses às ondas indonésias, consideradas por muitos as melhores do mundo.

Depois do lançamento do livro Sumatra Regresso ao Paraíso e da criação da Luso Indonesian Surf Commnity em 2010, apresentaram agora o teaser “you know Where...” que antecede o lançamento de um filme-documentário em 2012.

Filme:

“You Know Where”

Género:

Curta Promocional - Indonésia

Surfistas:

André Pedroso, Bruno Charneca, Eurico Romaguera, Joana Rocha, Miguel Ruivo, Nuno Silva, Tiago Oliveira, Txaber Trojaola.

Realização e Edição:

Bernardo Carvalho

Cameras:

Bernardo Carvalho, Gonçalo Ruivo

Water Camera:

Gonçalo Ruivo

Co-Produção:

Surf Solutions – Gestão & Consultoria

A.S.A.I. – Associação de Surf Amigos da Indonésia


(in Surf Portugal.com)



terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Surf Total e Portugal!!!


"Miguel Figueira, um dos mentores do projecto, discursou e arrebatou a plateia na cerimónia de encerramento do Movimento Milénio.

Foi no dia 6 de Dezembro no Convento do Beato em Lisboa que se realizou a cerimónia de encerramento do Movimento Milénio. O Movimento Milénio foi uma grande iniciativa nacional promovida pelo Jornal Expresso e pelo Millenium BCP para a procura de respostas para o futuro, revelação de caminhos e tendências com verdadeiro impacto na vida dos portugueses.

Miguel Figueira discursou acerca do projecto Figueira da Foz "CIDADE SURF" que desenvolveu juntamente com o surfista local Eurico Gonçalves, entre outros, e que foi o vencedor da área Cidades. Este projecto apresentou como objectivos fundamentais o impedimento da erosão na costa sul da Figueira da Foz, reactivando, desta forma, a famosa onda do Cabedelo. O cumprimento destes objectivos revela-se fundamental, uma vez que irá permitir, segundo os autores do projecto, o pleno aproveitamento das potencialidades turísticas da Figueira da Foz, potenciando também a rentabilidade económica da obra em curso do Porto Comercial.

Como prémio de terem sido vencedores, os responsáveis pelo projecto terão a oportunidade de participar numa conferência de referência internacional à sua escolha, com despesas pagas até ao valor de 12.500 euros. (in Surf Total.com)



Comitiva projecto CIDADE SURF! Joao Capucho, Jose Luis Biscaia, Pedro Mauricio, Antonio Pedro, Francisco Cipriano e Miguel Moreira. Pedro Lima, Eurico Gonçalves, Gonçalo Cadilhe, Miguel Figueira e João Valente.

"Foi uma longa jornada que recentemente chegou ao fim e, felizmente, terminou com a vitória do projecto Figueira da Foz "CIDADE SURF" na área Cidades do Movimento Milénio, concurso/competição promovido pelo banco Millennium BCP e semanário Expresso.

No passado dia 6 de Dezembro, no Convento do Beato em Lisboa, foi a cerimónia de consagração dos vencedores e encerramento da edição deste ano e como tal, a equipa do projecto "CIDADE SURF", não podia deixar de estar lá.

Mas sendo um projecto ambicioso, na apresentação do projecto a toda a audiência, Miguel Figueira e Eurico Gonçalves, mentores do projecto, atingiram um nível de excelência só comparado com a qualidade do projecto. Na edição do dia 10 de Dezembro de 2012, o Expresso escreveu: "Miguel Figueira arrebatou a plateia". (in Surf Portugal.com)

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

“Miguel Figueira arrebatou a plateia” in expresso 10/12/2012


Miguel Figueira apresenta o projecto Figueira da Foz "CIDADE SURF", vencedor da área Cidades, na cerimónia de encerramento do Movimento Milénio, realizada dia 6 de dezembro no Convento do Beato, em Lisboa.

“Miguel Figueira arrebatou a plateia” in expresso 10/12/2012

domingo, 11 de dezembro de 2011

Movimento Milénio: um ano de ideias e projetos inovadores

Encontrados os quatro vencedores da iniciativa do Expresso e do Millenium bcp, realizou-se esta terça-feira a grande cerimónia de encerramento do Movimento Milénio.


A sessão de encerramento do Movimento Milénio, iniciativa do Expresso e do Millennium bcp lançada em Fevereiro de 2011 e aberta à participação de todos os portugueses, teve lugar nesta terça-feira, 6 de Dezembro, no Convento do Beato, em Lisboa.

Durante todo o ano o Movimento Milénio deu a conhecer mais de uma centena de ideias inovadoras nas categorias Democracia, Negócios, Cidades e Consumo, premiando o melhor projeto em cada uma destas áreas.

in "Expresso 10/12/2011"

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Projecto CIDADE SURF @Convento do Beato


"Para Norte, pela A8, uma auto-estrada de surfistas que passa pela Ericeira, Peniche e Nazaré, chega-se à Figueira da Foz...

...O grupo quer pôr a Figueira no mapa mundial, porque há uma candidatura do Cabo Mondego a Reserva Mundial de Surf e porque a onda de Buarcos é considerada a “direita” mais longa da Europa.

Mas este grupo – onde há apoios de campeões do surf como Tiago Pires ou Kelly Slater, e de figuras públicas como Pedro Adão e Silva (politólogo), Gonçalo Cadilhe (cronista e escritor de viagens) ou Pedro Lima (ator) – tem um projeto global para a Figueira, chamado Cidade Surf que ultrapassa as fronteiras do desporto. Tudo porque o prolongamento do molhe alterou a dinâmica das areias no fundo do mar e a boa onda da Praia do Cabedelo, no sul da cidade, do outro lado da foz do Mondego, está seriamente ameaçada pela erosão."

"Virgílio Azevedo in - Revista Unica"



João Capucho, José Luis Biscaia, Pedro Mauricio Borges, António Pedro, Francisco Cipriano
Pedro Lima, Eurico Gonçalves, Gonçalo Cadilhe, Miguel Figueira, João Valente

"Na Figueira da Foz a salvação da onda do Cabedelo tornou-se questão política, a partir do momento em que começaram as obras no porto comercial e as condições naturais na zona ficaram ameaçadas. A comunidade local reagiu, nasceu o movimento SOS Cabedelo e hoje o projecto de desenvolvimento da cidade está traçado em função daquela que é uma das melhores direitas do país (onde ainda há bem pouco tempo houve uma prova organizada pela ASP, a FIFA do Surf).
A cidade virou-se ao mar. Como em todo o lado, há quem apareça na Figueira apenas para surfar e ir embora, mas um turista que queira ficar ali uns dias pode gastar "entre 80 e 100 euros por dia", explica Eurico Gonçalves, da SOS Cabedelo."

"in ionline - Filipe Duarte Santos e Sara Sanz Pinto, Publicado em 09 de Outubro de 2010 "